Você está em: Home >> Notícias >> O Diretório Municipal do PPL de Porto Alegre se reuni para fazer balanço da eleição municipal
 
- Procurar Notícias  
 
 
 
Legenda:No púlpíto, Marcio Cabreira, seguido na mesa por alexandre Pahim, Mari Perusso, Toni Proença e Nelson Junior
Créditos:Rodrigo Riegel
29/10/2012 | O Diretório Municipal do PPL de Porto Alegre se reuni para fazer balanço da eleição municipal

         O Diretório Municipal do PPL de Porto Alegre reuniu-se na última quarta-feira (24), para fazer um balanço da eleição municipal. O ato aconteceu no Plenário Ana Terra da Câmara Municipal de Vereadores. O espaço serviu para que os filiados pudessem debater e discutir sobre o rumo do Partido na capital. Fundado em 2009, o PPL de Porto Alegre participou de sua primeira eleição e obteve 2.774 votos, com a participação de dois candidatos no pleito.

         Para o vereador e membro da executiva municipal, Toni Proença, as perspectivas da eleição foram positivas, pois, diferentemente da eleição anterior, em que sua rede era apenas de amigos e grupos políticos, o PPL, em 2012, iniciou do zero e finalizou a campanha com mais de 2.700 votos: “Nenhum partido teve um crescimento tão amplo quanto o PPL nessa eleição. O PPL é maior do que eu, e é assim que deve ser a partir deste alicerce que se constrói alguma coisa que represente a nossa luta. Nós estamos apenas começando”, disse.

         O Presidente do PPL de Porto Alegre, Marcio Cabreira, considerou um avanço significativo do Partido na Capital. Para Marcio, o fato de os filiados estarem presentes na reunião é a demonstração do trabalho realizado: “A nossa grande vitória é os companheiros aqui presentes, que caminharam e continuarão caminhando juntos para as tarefas que estarão por vir.” E continua: “Peço que saiam com a sensação do dever cumprido, pois cada um cumpriu seu papel e colocou seu tijolo nessa obra, uma obra que será difícil de ser derrubada. Nós enraizamos pensamentos, ideias e formamos uma força política em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul e no Brasil”, enfatiza.

         Segundo Cabreira, na sua avaliação, um dos fatores resultantes das eleições deu-se pela conjuntura por que passou a campanha de Villaverde, o que desnivelou todos que estavam associados à candidatura. Marcio reforça que o PPL optou pelo PT devido à identificação com os projetos desenvolvimentistas defendidos por aquele.

         Elucidando o plenário, Marcio avalia a candidatura de Fortunati: apesar de ter sido um cidadão militante do PT e de esquerda, quando se constituiu, a composição deu uma guinada para a direita, associando-se ao DEM e às políticas privatistas da Cidade. Esses foram fatores que impediram o PPL de associar-se à candidatura.

         No caso da candidatura de Manuela, o equívoco da aliança com a senadora Ana Mélia Lemos afastou qualquer apoio do Partido: “Ana Mélia é a representante do agronegócio, mas não do familiar e nacional, e, sim, do agronegócio internacional, da Monsanto”, denunciou. Essas foram as razões que levaram o apoio do PPL ao PT.

         Também presente no ato, a Presidenta Estadual do PPL, Mari Perusso, ressaltou que o momento é de reflexão e invitou as pessoas apoiadoras se somarem ao Partido: “Somente um partido consegue mudar a esfera do poder”, afirma.

         Mari demonstra, com enaltecimento, o crescimento do PPL no Brasil: foram conquistadas 173 cadeiras em câmaras municipais e foram eleitos 12 prefeitos em todo o país. Com o objetivo de ampliar o trabalho em Porto Alegre, Mari reforça que, a partir de agora, é a hora de intensificar nos trabalhos comunitários e sistematizar o Partido na Capital: “A vida do povo não está resolvida. Enquanto não estiver resolvida, ainda teremos muito que fazer”, salienta.

         No final da reunião, os presentes agendaram as próximas reuniões de trabalho.

 

 
Últimas Notícias
 
18/12/2015   -- PF, STF e TSE: o destino de Dilma, Cunha & outros
16/12/2015   -- Luciana Genro: “Dilma, Temer e Cunha não possuem legitimidade e é necessário convocar eleições gerais”
16/12/2015   -- Povo quer que Dilma saia mas não quer que o Temer fique
16/12/2015   -- Previdência é o próximo alvo do “ajuste”, diz Levy na Febraban
11/12/2015   -- Dilma e Temer são sócios nos mesmos crimes: Fora os dois!
 

 
Voltar


 Comente
 
COMENTÁRIOS:
16.12.2015
 Povo quer que Dilma saia mas não quer que o Temer fique.
11.12.2015
 Dilma e Temer são sócios nos mesmos crimes: Fora os dois!.
09.12.2015
 “Ajuste” provoca maior tombo na produção industrial em outubro.
09.12.2015
 Dilma e Temer dividiram as assinaturas das pedaladas.
25.11.2015
 Eleição na Argentina: sapato alto de Scioli deixa Macri levar no 2º turno.
25.11.2015
 Carta branca de Dilma à Vale cobre de lama Rio Doce até foz no ES.
25.11.2015
 No ano, o Brasil perdeu 818.918 empregos com carteira assinada.
25.11.2015
 Introdução ao crime: a chacina da indústria no governo Dilma.
06.11.2015
 No ano, 657.761 trabalhadores perdem emprego formal no país.
06.11.2015
 Em 9 meses, governo transfere à banca R$ 408 bi para pagar juros.
06.11.2015
 Neste sábado ocorrerá o Congresso Estadual da JPL.
19.09.2015
 Para Dilma, ‘democracia’ é trair o eleitor e governar para os bancos.
09.09.2015
 Werner Rempel defende servidores estaduais e denuncia os cortes de Dilma.
21.08.2015
 Governo arrocha salário e usa CEF e BB para saciar lucro das múltis.
[+ Notícias]

Correio Eletrônico: pplrs@pplrs.com.br